Como fazer esquema de comparação pareada

Como fazer esquema de comparação pareada

codificadas (Figura 2). O provador é então informado que uma das amostras codificadas é igual ao padrão, e é solicitado a identificar a amostra igual ao padrão. 238 146 P H2OFicha Figura 2: Esquema de apresentação das amostras 5 Equipe de provadores: idem ao teste triangular. De acordo com Meilgaard et al. (1987); o poder de discriminação do teste é bastante aumentado se um número maior que 30 provadores realizar o teste. Porém o número de provadores não deve ser inferior a 15. Observações:  O teste Duo-Trio é mais simples sob o ponto de vista do provador que o teste triangular, uma vez que é mais fácil procurar a amostra solicitada no teste Duo-Trio que no teste Triangular. Entretanto, o teste Duo -Trio é mais ineficiente que o triangular porque a probabil idade de acertar ao acaso é de 1/2 ao invés de 1/3 como no teste Triangular.  As amostras devem ser servidas em todas as posições possíveis. Se você tem duas amostras: amostra A e amostra B, então:  Se o provador não conseguir detectar a diferença, ele deve escolher a amostra igual ao padrão ao acaso (ele deve “chutar”). A escolha é forçada.  Como o Teste Triangular, o Teste Duo -Trio só verifica se as amostras testadas são diferentes, não avaliando em que elas são diferentes ou se a diferença é grande ou pequena .  Como no Teste Triangular, o provador será obrigado a provar três amostras, o que poderá “cansá -lo” no caso de amostras muito condimentadas. Análise dos resultados: some as respostas corretas. Anote o número total de respostas. Verifique se o número de respostas corretas é maior ou igual ao da Tabela para o teste pareado monocaudal, se for, conclua que existe diferença significativa ent re as duas amostras ao nível de significância testado. Quando usar o teste Duo-Trio: nos mesmos casos do Teste Triangular. Exemplo: Um engenheiro de alimentos precisa verificar se, ao mudar o fornecedor de sua essência de morango, introduzirá uma mudança nas características sensoriais de seu iogurte de morango. Assim ele aplicou o Teste Duo -Trio de acordo com a ficha abaixo, obtendo os resultados abaixo especificados. P = A B A P = A A B P = B A B P = B B A 6 Nome: _____________________________________________ Data: ___/___/___ Você está recebendo uma amostra padrão P e duas amostras codificadas de iogurte de morango. Uma amostra codificada é igual ao padrão. Primeiramente prove a amostra padrão (P) e então prove as amostras codificadas da esquerda para a direita. Identifique com um círculo a amostra codificada que for igual ao padrão. ________ ________ Comentários: ______________________________________________________________ Modelo de ficha utilizada para aplicação do Teste Duo -Trio. Resultados:  Total de testes = 40  Total de respostas corretas = 22 Da Tabela para teste pareado monocaudal, para um total de 40 testes aplicados, o número mínimo de respostas corretas para estabelecer diferença significativa (p ≤0,05) entre as amostras testadas é igual a 26; para p ≤0,01 é igual a 28 e para p≤0,001 é igual a 30. Como 22<26, minha conclusão é que não há diferença significativa entre as amostras. Se o número de respostas corretas tivesse sido de 26, minha conclusão seria de que há diferença significativa entre as amostras ao nível de signific ância de 0.05. Se o número de respostas corretas tivesse sido de 29, minha conclusão seria de que há diferença significativa entre as amostras a p ≤0,01 (p≤1%). 3. Teste de Comparação Pareada Objetivo do teste: saber se uma amostra apresenta um certo atri buto sensorial em maior intensidade que a outra amostra (verificar qual amostra é mais doce, ou mais ácida, etc que a outra). Observe que este teste é direcional porque chama a atenção do provador para um determinado atributo sensorial (doçura, acidez, etc .). CUIDADO! Se você está testando se a troca de ingredientes afeta o seu produto, e você aplica este teste, você estará assumindo que a troca de ingredientes afetará apenas um determinado atributo (ex: doçura, acidez, etc.) o que poderá não ser verdade. Ex: ao substituir a sacarose de uma gelatina, por aspartame (adoçante artificial) a intensidade de doçura da gelatina poderá permanecer a mesma, mas a firmeza do produto poderá mudar, porque a sacarose dá viscosidade ao produto e o aspartame, que é um dipeptídeo, não dá. Em conseqüência, se você perguntar ao provador qual amostra é a mais doce, você poderá concluir que as amostras não são diferentes em doçura (o que é verdade), mas elas podem ser diferentes em firmeza. Princípio do teste: cada provador recebe duas amostras codificadas e é solicitado a circular a amostra que apresenta uma certa característica sensorial em maior intensidade (ex: amostra mais doce) (Figura 3). 7 Equipe de provadores: idem ao Teste Duo-Trio, mas tenha certeza que os provadores detectam corretamente o atributo sensorial sendo avaliado: doçura, acidez, etc. Observações:  Sirva as amostras igualmente nas duas combinações: A B B A  Se o provador não conseguir detectar a diferença, é orçado a escolh er, o acaso,uma das amostras. Análise dos resultados: soma-se o número de provadores que acharam a amostra A com maior intensidade do atributo especificado, e o número de provadores que acharam a amostra B com maior intensidade do produto avaliado. Pegue o maior dos números e use a Tabela apropriada: 1. Se você sabe a priori qual amostra deveria apresentar maior intensidade do atributo avaliado, use a tabela do teste pareado monocaudal. Ex: coce está verificando se os provadores conseguem diferenciar suco de laranja com 1% de ácido cítrico de suco de laranja com 2% de ácido cítrico. Como você espera que se houver diferença, a amostra com 2% será a mais ácida, você usa a tabela de teste pareado monocaudal. 2. Se você não sabe a priori qual amostra deveria ap resentar maior intensidade do atributo avaliado, use a tabela do teste pareado bicaudal. Ex: você substitui uma certa concentração de aspartame numa gelatina, por uma certa concentração de ciclamato de sódio e deseja saber se as gelatinas diferem em doçura . Neste caso, você não sabe qual amostra seria a mais doce, se elas diferirem em doçura, assim, você usará a tabela do teste pareado bicaudal. Verifique se o número de provadores que circularam a amostra escolhida mais freqüentemente como a mais intensa é maior ao número mostrado na tabela apropriada. Se for, conclua que aquela amostra é mais intensa que a outra no atributo avaliado. Exemplo: Um engenheiro de alimentos deseja saber se ao aumentar a acidez titulável em seu suco em 0,1% aumentará também a ac idez percebida sensorialmente. Assim sendo, se ele aplicou um Teste de Comparação Pareada usando a ficha abaixo. os resultados estão expressos a seguir. 238 H2O Ficha Figura 3: Esquema de apresentação das amostras 146 8 Nome: _____________________________________________ Data: ___/___/___ Por favor, prove as amostras c odificadas da esquerda para a direita e circule abaixo o código da amostra mais ácida. __572____ ___647__ Comentários: ______________________________________________________________ Modelo de ficha utilizada para aplicação do Teste de Comparação Pareada . Resultados:  Número total de provadores = 43  Respostas coincidentes para amostra 572 = 30 De acordo com a tabela do teste de comparação pareada monocaudal (espero que a amostra com maior acidez titulável seja mais ácida); para um total de 43 provadores, seriam necessárias pelo menos 28 respostas coincidentes para que houvesse diferença significativa (p≤0,05) entre as amostras testadas. Assim, de acordo com a referida tabela, eu posso concluir que existe diferença significativa entre as amostras testadas ao nível de 1% de significância e que a amostra A é a mais ácida. Se tivesse havido 35 respostas coin cidentes para a amostra A, então eu

Como fazer esquema de comparação pareada
Como fazer esquema de comparação pareada
Como fazer esquema de comparação pareada

You're Reading a Free Preview
Page 4 is not shown in this preview.